Criofrequência

O que é a CRIOFREQUÊNCIA?

A Criofrequência é condutivo do frio com o sistema de PELTIER, e capacidade de resfriamento de -5°C, gera aumento do metabolismo e esvaziamento do adipócito (lipólise), controlado pela frequência de RF Multipolar de 650KHz, 1200KHz e potência de 70W.

A radiofrequência capacitiva tem ação de dentro para fora, e da mesma forma acontece na CRIOFREQUÊNCIA. A radiofrequência associada com a crioterapia produz milhões de choques térmicos nos tecidos, gerando outro efeito fisiológico que desestabiliza o metabolismo local.

Essa energia mobiliza o colágeno e a gordura, sendo indicado para flacidez tissular, gordura localizada e remodelagem corporal, em alguns casos de celulite, por realizar o esvaziamento do adipócito e, consequentemente, a melhora da celulite.

A CRIOFREQUÊNCIA possui a associação da criolipólise sem sucção, aliada a radiofrequência capacitiva, diferente das tecnologias tradicionais que são evoluções da radiofrequência associada à ponteira resfriada.

Essa terapia é indicada para as pessoas que desejam eliminar gordura localizada, tratar flacidez facial, flacidez corporal, envelhecimento de pele e celulite. Normalmente o procedimento é eficaz para o tratamento destas necessidades simultaneamente.

O encontro das duas temperaturas além de garantir a segurança do cliente, produz milhões de choques térmicos aos tecidos, gerando um terceiro efeito fisiológico, desestabilizando o metabolismo local. Tamanha energia mobiliza não somente o colágeno, mas também a gordura, sendo indicado para flacidez tissular (facial e corporal) e gordura localizada.

Sobre a flacidez tissular, o frio contribui no controle do edema (inchaço); o choque gera uma tensão instantânea da pele, tendo um efeito desintoxicante aumentando os níveis de oxigenação dos tecidos, uma vez que dilata os vasos sanguíneos que irrigam a pele, produzindo um lifting instantâneo, progressivo e duradouro deste a 1 sessão.

O colágeno, produz sua desnaturação através do calor interno até 60 graus, fazendo com que o corpo responda fisiologicamente à neocolagênese. Este estímulo têm pico de 21 dias e continua agindo por até 4 meses.

A gordura, produzimos o seguinte efeito fisiológico: a gordura de reserva dentro da célula adiposa, diante dos choques térmicos e do calor interno, “quebra-se”, passando de Triglicerídeos para Ácidos Graxos e Gliceróis, processo este conhecido como Lipólise. A célula adiposa então “expulsa” a gordura, sendo que esta é “consumida” pelo corpo como fonte de energia para queima calórica, podendo ser em uma atividade física, ou em uma dieta restritiva de carboidratos e gorduras.

MECANISMO DE AÇÃO

Flacidez: Sobre a flacidez tissular, o frio contribui no controle do edema (inchaço); o choque gera uma tensão instantânea da pele, tendo um efeito desintoxicante aumentando os níveis de oxigenação dos tecidos, uma vez que dilata os vasos sanguíneos que irrigam a pele, produzindo um lifting instantâneo, progressivo e duradouro deste a 1 sessão.

Lifting imediato: O aumento da temperatura interna na derme promove, inicialmente, o rompimento das pontes de hidrogênio existentes na molécula de colágeno, o que acarreta uma reorganização das fibras, além de sua contração, tornando-a mais eficiente na sustentação da pele.

Reparo Tecidual: A lesão dérmica causada devido ao calor auxiliará na desnaturação das fibras de sustentação que já perderam elasticidade, além de iniciar o processo de sinalização para o reparo tecidual gerando uma hiperativação das células da região.

Vasodilatação: Este calor irá aumentar o metabolismo celular e gerar vasodilatação. Com a vasodilatação, aumenta o aporte de oxigênio e de nutrientes para as células.

Neocolagênese: As altas temperaturas alcançadas na derme levam à degradação de 5 a 30% das fibras colágenas, além de fibrina e elastina. O efeito consequente existente é a estimulação da atividade dos fibroblastos com a síntese de novo colágeno, elastina e ácido hialurônico; com o aumento histologicamente comprovado da densidade dérmica.

O colágeno, produz sua desnaturação através do calor interno até 60 graus, fazendo com que o corpo responda fisiologicamente à neocolagênese. Este estímulo tem pico de 21 dias e continua agindo por até 4 meses.

Qual a diferença entre CRIOFREQUÊNCIA e Criolipólise?

Como dito anteriormente, a CRIOFREQUÊNCIA age através do choque térmico que desestabiliza o metabolismo, quebrando as células de gordura. Esse choque térmico é gerado através do contato com a pele de uma ponteira que resfria a superfície a 10 graus negativos (-5ºC), enquanto o calor de até 55 graus positivos (55ºC) atinge, simultaneamente, as camadas mais profundas. A CRIOFREQUÊNCIA também age estimulando a formação de novas fibras de colágeno e de elastina. O resultado deste estímulo proporciona a tensão instantânea da pele, conhecido como efeito lifting.

Já a Criolipólise é um procedimento que usa somente o frio, no qual ocorre a sucção e o congelamento das células de gordura. Esse congelamento desencadeia uma mudança na estrutura celular daquela região. Em decorrência disso, o organismo desenvolve uma resposta inflamatória para eliminar estas células. O processo de eliminação destas células de gordura pelo organismo pode levar até 90 dias.

Tanto a CRIOFREQUÊNCIA, quanto a Criolipólise possuem comprovação científica com ótimos resultados na prática, porém uma terapia não substitui a outra, pois as mesmas agem com estímulos diferentes e tem respostas fisiológicas diferentes. O grande sucesso de vários profissionais é unir os dois tratamentos, o que depende de prévia avaliação e alcança excelentes resultados.

Múltiplas opções e combinações de criofrequência, crioterapia e radiofrequência:

Crioterapia de contraste com terapias de aquecimento e resfriamento, aumentando os níveis de resultado e permite ao profissional realizar tratamentos em seu paciente toda semana.

Quais são as áreas de aplicação da CRIOFREQUÊNCIA?

A CRIOFREQUÊNCIA pode ser aplicada tanto na região facial (rosto e pescoço), quanto na região corporal (glúteos, pernas, braços, abdômen, costas, flancos).

As aplicações dessa terapia são feitas com movimentos ascendentes e/ou descendentes, de acordo com o objetivo do tratamento e são totalmente indolores. A sensação que o paciente tem durante as aplicações é somente do contato da ponteira, que chega a 5 graus negativos, com a superfície da pele. A alta temperatura atingida durante o procedimento não é nem mesmo sentida pelo paciente, pois ocorre em camadas internas da pele.

Com a CRIOFREQUÊNCIA o resultado é imediato, tanto no sentido de lifting instantâneo, quanto na redução de medidas, provando mais uma vez o porquê que essa tecnologia têm ganhado cada vez mais espaço no mercado: credibilidade, qualidade, segurança, alta tecnologia e o mais importante, resultados duradouros!

Para realizar o procedimento, é necessário que se tenha uma vida saudável, com alimentação balanceada e boa ingestão de líquidos. Isso já é suficiente para que se perceba ótimos resultados desde a primeira sessão.

Benefícios da Terapia de CRIOFREQUÊNCIA

A criofrequência combate os três grandes inimigos das mulheres: flacidez, celulite e gordura localizada;

É possível obter o máximo de resultado para flacidez e gordura localizada em uma única sessão;

Pode ser usado tanto para tratamento facial quanto corporal completo;

Permite tratar com excelência as áreas difíceis do corpo, como papadas, gordurinhas entre axila e seio e as gordurinhas do “tchauzinho”;

O tempo de tratamento da CRIOFREQUÊNCIA é, em média, de 30 minutos;

Aplicação da terapia de CRIOFREQUÊNCIA é extremamente confortável e indolor.

Preço do tratamento com a CRIOFREQUÊNCIA

Pode variar de 149,00 a 499,00 a sessão.

Quantidade de sessões indicadas da Criofrequência

A quantidade de sessões de CRIOFREQUÊNCIA deve ser recomendada por um profissional após avaliação individual do paciente. O protocolo indica, em média, 6 a 10 sessões por região e, após esse período, já são alcançados excelentes resultados. A duração de cada sessão depende da área tratada, tendo tempo médio de 30 a 50 minutos. O intervalo entre as sessões depende do objetivo do tratamento, podendo ser feita semanalmente 15 ou em até 21 dias.

INDICAÇÕES

  • Flacidez tissular;
  • Gordura Localizada e Remodelagem corporal;
  • Rejuvenescimento;
  • Linhas de expressão;
  • Fibrose pós-operatória;
  • Celulite;
  • Estrias;
  • Adiposidade;

CONTRAINDICAÇÕES

  • Processos inflamatórios e infecciosos;
  • Marca-passos ou desfibriladores interno;
  • Grávidas ou lactantes;
  • Câncer (especialmente câncer de pele ou pintas pré-malignas);
  • Histórico de distúrbios da pele (como cicatrizações queloides);
  • Tecido isquêmico;
  • Trombose venosa;
  • Condições hemorrágicas;
  • Lesões tuberculosas ativas;
  • Sobre próteses metálicas e de silicone;
  • Processos infecciosos ou inflamatórios agudos.